Parcerias

Natual PT  Parque Natural do Douro Internacional
Bikotel-bike-friendly-hotel
"Even the silence has a melody of its own"
  • Banhos Turcos
    Banhos Turcos
  • Court de Ténis
    Court de Ténis
  • Aceita-se animais de estimação
    Aceita-se animais de estimação

Passeios Pedestres

Observações: Aconselhável levar; água, reforço alimentar, calçado adequado, chapéu, protector solar, roupa confortável, capa de chuva e binóculos.

Conhecer a Faia Brava a pé

Localizada no vale do Côa, na faixa fronteiriça do Distrito da Guarda, a Reserva da Faia Brava abrange cerca de 850ha de propriedades nos concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo e Pinhel. Neste sector, as encostas fluviais do Côa atingem grande declive e são formadas por afloramentos rochosos graníticos, escarpas, idóneas para a nidificação de aves rupícolas. Está inserida na ZPE do Vale do Côa (Rede Natura 2000) e IBA (Birdlife International Important Bird Area) e, finalmente, no Parque Arqueológico do Vale do Côa, classificado pela UNESCO como Património da Humanidade.

Em 2010 a Reserva da Faia Brava foi classificada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) como a primeira Área Protegida Privada do país e actualmente é também uma área-piloto do projecto europeu Rewilding Europe, para a criação de áreas naturais silvestres e para o desenvolvimento de turismo de natureza na Europa.

A fauna do vale do Côa é bastante diversificada, sendo essa característica um dos aspectos de maior destaque da Faia Brava. O grupo faunístico mais emblemático corresponde ao das aves rupícolas, das quais se destacam: Cegonha-preta (Ciconia nigra), Britango (Neophron percnopterus), Grifo (Gyps fulvus), Águia-real (Aquila chrysaetos), Águia de Bonelli (Aquila fasciata), Bufo-real (Bubo bubo), Andorinhão-real (Apus melba). Recentemente, foi ainda confirmada a nidificação de Andorinhão-cafre (Apus caffer).

FICHA TÉCNICA

Duração: cerca de 5h

  • Extensão: 9,5km
  • Tipologia: linear
  • Diferenças de altitudes: 159m (363m para 522m)
  • Subida acumulada: 246m
  • Descida acumulada: 94m

Observações: Aconselhável levar; água, reforço alimentar, calçado adequado, chapéu, protector solar, roupa confortável, capa de chuva e binóculos.

Preços: 
  • PVP 2 pessoas: 45€/pessoa
  • PVP a partir de 4 pessoas (inclusive): 27,5€/pessoa

Prazo mínimo de reserva: 1 dia

Calçada de Alpajares

Encontramo-nos no vale da ribeira do Mosteiro, um afluente do rio Douro, no concelho de Freixo de Espada à Cinta, em pleno Parque Natural do Douro Internacional. Apesar do percurso proposto ter pouca extensão, é extraordinariamente rico em património natural, paisagístico e histórico.

Os aspectos da geologia são realçados pelos afloramentos quartíziticos que irrompem as encostas de xisto e se elevam acima do solo assumindo formas estranhas e interessantes, como as dobras e o Muro da Abalona, uma “parede” natural. Estas formações rochosas permitem a presença de uma diversidade interessante de aves das escarpas, como a Águia-real, o Grifo, a Cegonha-preta, o Abutre do Egipto, o Melro-azul, o Papa-figos, o Abelharuco e a Andorinha-das-rochas.

Nesta antiga paisagem de relevo agreste, num vale profundo sulcado pela ribeira do Mosteiro, surgem vestígios de uma presença humana mais primordial. O Castro de São Paulo, da Idade do Ferro, encima o monte do mesmo nome, onde já se encontraram vestígios da presença romana. Neste que é o ponto mais elevado do percurso ainda se encontram um antigo pombal e sepulturas medievais escavadas na rocha. Aqui também se inicia a Calçada de Alpajares, um caminho empedrado e sinuoso, com cerca de 1km de extensão.

FICHA TÉCNICA

  • Duração: 3h30
  • Extensão: 7,6km
  • Tipologia: circular
  • Diferenças de altitudes: 233m (151m para 384m)
  • Subida acumulada: 286m
  • Descida acumulada: 286m

Preços: 
  • PVP 2 pessoas: 40€/pessoa
  • PVP a partir de 4 pessoas (inclusive): 22,5€/pessoa

Prazo mínimo de reserva: 2 dias